108SP GRUPO ESCOTEIRO JABUTI | Escoteiros do Brasil | São Paulo

GRUPO ESCOTEIRO JABUTI | Escoteiros do Brasil | São Paulo

4. Eficiência 2

4.1 Escotismo:

a) Conhecer a história de Gilwell Park;

b) Conhecer a estrutura do Escotismo Mundial;

c) Conhecer a história do seu Grupo Escoteiro ou de sua seção escoteira autônoma.

4.2 Ar Livre:

a) Demonstrar que sabe aplicar os seguintes nós: nó de pescador, volta do enfardador e volta do salteador, laçada corrediça e cadeira de bombeiro;

b) Demonstrar que sabe aplicar falcaças e costuras em cabos;

c) Conquistar a especialidade de Cozinheiro, Nível II;

d) Ter acampado com a Tropa ou patrulha por no mínimo 15 noites;

e) Ter participado de pelo menos 1 acampamento regional, nacional ou internacional;

f) Planejar, executar e avaliar um acampamento de tropa ou patrulha;

g) Conhecer as técnicas de plantio e poda de árvores;

h) Preparar uma refeição mateira;

i) Fazer um esboço topográfico pelo método da prancheta e pela tela panorâmica;

j) Realizar uma das proposições abaixo:

– Participar de uma jornada de pelo menos 25 km a pé ou 35 km de bicicleta, acompanhado de outro membro de sua patrulha, com pernoite, realizando as tarefas propostas pela chefia, entre elas a elaboração de um Percurso de Gilwell de ao menos 3 km, apresentando posteriormente relatório individual da jornada.

– Realizar, durante um acampamento de tropa, as tarefas propostas pela chefia, entre elas a elaboração de um Percurso de Gilwell de ao menos 3 km, apresentando posteriormente relatório individual da execução.

4.3 Cidadania:

a) Conquistar a especialidade de História Brasileira, nível 2;

b) Ter noções dos Direitos e Deveres Individuais e Coletivos previstos na Constituição Federal;

c) Ter noções da Declaração Universal dos Direitos Humanos.

4.4 Valores:

a) Cumprir os preceitos de sua crença religiosa;

b) Realizar uma auto-avaliação em relação ao compromisso assumido desde sua Investidura e seu progresso após a conquista da Eficiência I.

4.5 Sociabilidade:

Realizar três das seguintes proposições:

a) Levar um grupo de jovens que não sejam escoteiros, no mínimo 3 e no máximo 6, na faica de 14-16 anos, a uma excursão com sua patrulha;

b) Apresentar a um grupo de jovens de 14 a 16 anos, que não sejam escoteiros, uma Palestra sobre as atividades da Tropa Sênior;

c) Prestar com sua patrulha um serviço à comunidade, com duração de no mínimo 4 horas;

d) Trazer um grupo de professores (no mínimo 3) para visitar seu Grupo Escoteiro, dando-lhes as informações sobre as atividades realizadas;

e) Ser o responsável pela preparação de uma atividade a ser realizada durante um dia de acampamento e que envolva a participação de jovens da comunidade, com duração de 2 a 4 horas;

f) Organizar uma exposição de ao menos 3 dias sobre o Escotismo aberta ao público, fora do Grupo Escoteiro.

4.6 Comunicação:
a) Fazer uma entrevista com um jovem que não tenha sido escoteiro sobre Escotismo, apresentando-o à sua Tropa Sênior;

b) Visitar um estabelecimento industrial, fazendo um relatório de suas observações, apresentando-o a sua Tropa;

c) Trazer seu pai, mãe ou responsável, para apresentar à Tropa a importância de sua profissão e seus principais aspectos.

4.7 Economia:

a) Planejar, executar e prestar contas, de uma campanha financeira de sua tropa, objetivando que todos os elementos de sua patrulha participem de uma atividade regional, nacional ou internacional.

4.8 Saúde:

a) Conquistar a especialidade de Primeiros Socorros no nível 3.

4.9 Projeto:

Realizar um projeto que exija habilidade, aplicação e persistência. Não há restrições quanto a escolha do assunto pelo próprio sênior, mas deve ser algo que o ele possa preparar saindo de conhecimentos rudimentares e alcançando um alto padrão de conhecimentos.


a) Apresentação:

– O Sênior, após decidir sobre o tema do projeto, deve preparar um plano de realização do mesmo, por escrito, para ser apresentado à Corte de Honra e a Chefia. Estas deverão julgar separadamente, se o projeto atende aos requisitos aqui listados e se é algo possível de ser realizado.

– Devem constar da explanação do rapaz os seguintes pontos:

– ilustrações, esboços ou gráficos;

– cronograma com as principais etapas e respectivas datas;

– objetivos a serem atingidos;

– recursos necessários (humanos, materiais, literatura, etc.);

– explicação sobre a utilidade do projeto.


b) Desenvolvimento:

– Execução – O projeto deve exigir do sênior mais de 3 meses de esforços e estudos, porém, menos de 6 meses para sua perfeita execução. Pode ser permitido o auxílio e aconselhamento de outros seniores, bem como de especialistas tais como técnicos, cientistas e profissionais do ramo abordado pelo projeto. o Chefe pode ser consultado em qualquer das fases, para dar idéias e conselhos.

– Acompanhamento – durante o período de realização do projeto o sênior deverá apresentar pelo menos duas vezes os progressos alcançados. Deve ser indicado o que foi atingido e o que não foi, em vista do planejado, bem como as principais dificuldades encontradas. Nestas apresentações, feitas à Corte de Honra, o sênior pode propor mudanças no cronograma e orçamento, e outras alterações comprovadamente necessárias.


c) Avaliação:

– Quando julgar que cumpriu o projeto e alcançou os padrões fixados, o sênior deve exibir o resultado de seu trabalho à Tropa e apresentar à Corte de Honra um relatório documentado e ilustrado demonstrando o atendimento dos objetivos a que se propôs. A Corte de Honra deve solicitar, sempre que possível, o auxílio de algum técnico no assunto para julgar se os padrões alcançados são satisfatórios.

VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 0.0/10 (0 votes cast)
VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 0 (from 0 votes)